terça-feira, 21 de abril de 2015

Chamem-me Bruxo

Guilherme, sempre acreditei na tua absolvição: "até ao momento, Guilherme Almeida tem todas as razões para não entrar em pânico, afinal de contas a decisão está nas mãos da academia. Exacto, o leitor acertou, o juiz deste caso é o mesmo instituto que conferiu o grau académico. Ironia? Não, apenas uma característica lusa. Partindo do princípio que dificilmente alguém decidirá contra “a casa” em causa própria, o assunto está resolvido. Um brinde ao mestre."

1 comentário:

  1. Todos vemos que é zarolho, mas como pode o juiz aceitar que o é?

    ResponderEliminar

Exceptuando casos de linguagem imprópria, todos os comentários serão aceites.