segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

O acaso


Gosto do acaso. Sobretudo se o acaso me permite encontrar um desconhecido rosto feminino, em corpo gentilmente vestido de azul, numa manhã de Sábado, na Alberto Sampaio, e o reencontrar, já num jogo de cores intenso, numa noite de Domingo à porta de uma sala de cinema semi-vazia.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Exceptuando casos de linguagem imprópria, todos os comentários serão aceites.