domingo, 30 de dezembro de 2012

A marcha de 2012



Chegará o dia em que 2012 será uma vaga memória de um passado pouco glorioso. Nesse dia, todos os textos da Tribuna terão de ser remasterizados para que não lhes falhe o sentido. Fica a certeza que todos eles foram a negação da miséria moral que se abateu sobre quem decide os destinos desta cidade. Este espaço, não é fado, nunca foi fado, não poderia ser fado, é a certeza que conseguimos melhor. 

2 comentários:

  1. Este espaço, estes espaços de liberdade total,
    (porque sem anonimato a liberdade pode neste reino sair cara)são a melhor expressão de que não estamos condenados ao fatalismo com que os superhomens por regra nos procuram acenar. Grandes tiranetes começaram por pequenos democratas. E a esses, estes espaços abertos têm que mostrar sempre a porta de saída. Quando alguém, com ar angelical quer mostrar a sua bondade, usando meios que não são dele, e com eles pretenda retirar algum benefício, isso é impulso!!!!perigoso impulso.
    São impulsos que se parecem com o nosso fado, mas que temos que extirpar dos nossos destinos, certos de que sem eles o nosso futuro será melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo, a minha questão do anonimato é opção pessoal. Quem me quiser conhecer tem o e-mail disponível. Nunca recusei nenhum convite, nem mesmo a políticos (e olhe que já conheci alguns). No entanto reconheço que pode ser complicado ser do contra e trabalhar no estado ou ter negócios com o estado. Felizmente não vivo do estado, contribuo e não é pouco.

      Abraço.

      Eliminar

Exceptuando casos de linguagem imprópria, todos os comentários serão aceites.