quinta-feira, 5 de julho de 2012

Fenómenos e Epifenómenos



Se Rosa era Parks, Guilherme é Almeida. Se Rosa não se levantou, Guilherme também não. Parks transformou-se num fenómeno mundial, Almeida ainda não passou de epifenómeno local. Afinal de contas, entre Montgomery e o Mundão sempre são mais de seis mil quilómetros de distância.

5 comentários:

  1. Vamos lá ver uma coisa, ninguém questiona o senhor sobre esta vergonha?Onde andam os jornalistas, oposição, tribunal de contas e ministério público?

    ResponderEliminar
  2. "O berde", grande Gulherme!

    ResponderEliminar
  3. Mas este senhor caladinho e quietinho não estava melhor?Só ficamos mal vistos com estas aparições públicas.

    ResponderEliminar
  4. O Miguel mostra que não há limites à imaginação. Primeiro mistura Guilherme com poesia (feito ao alcance de meia dúzia de bravos), depois mistura Guilherme com Rosa Parks (nem um MEC dos tempos do Independente o faria). Caso o seu objectivo passe por ser premiado pela academia, terá de deixar de lado as personagens trágico-cómicas e focar-se em personagens reais, com sentimento e de carne e osso. Quando o fizer terá os suecos a seus pés e nem um Saramago o segura. Continuação de excelentes posts sobre temas medíocres.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, mais uma vez tenho de referir que se os posts têm algum valor a culpa é toda dos intervenientes. Agradeçam a eles. Eu faço o que posso, o mérito é todo deles.

      Eliminar

Exceptuando casos de linguagem imprópria, todos os comentários serão aceites.