quinta-feira, 5 de abril de 2012

E depois do adeus

Em 2013, cai a cortina sobre 23 anos de Ruísmo. Depois do adeus, o que fica?  Ficam as sombras de um tempo que se prolongou e, definitivamente, acabou. Fica o exercício do poder num registo datado nos idos de 80 apoiado num estilo de intervenção e comunicação sul-americanizado. Como herança, deixa uma cidade "arranjadinha", excelente para turista ver, no entanto longe de ser referência pelo seu dinamismo cultural, humano ou financeiro. Uma obra que simbolize o Ruísmo? Cada um terá a sua. Pessoalmente aposto na megalomania provinciana conhecida por Funicular. Ao senhor que se segue na cadeira do poder, apenas se exige mais e melhor. Nada que Viseu não consiga. 

4 comentários:

  1. Grato pela citação.
    Hoje contaram-me que um grupo de forasteiros andou a visitar a grande obra, com toda a atenção, e que tinham uma carrinha da câmara a aguardá-los.
    Estarão compradores?

    Ouvi sobre a "Cava de Viriato" (cito de memória) que é preciso "pensar macro", portanto insegurança e acidentes serão bagatelas...
    A gente ouve cada uma!

    Feliz Páscoa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se avançarem para a compra, sempre se poupa em manutenção e ninguém dará pela falta dele. Continue com o seu bom trabalho.
      Abraço e Feliz Páscoa.

      Eliminar
  2. Muito se poderá dizer deste quase quarto de século de Ruísmo, como bem lhe chama.
    Muitas coisas bem feitas, outras nem por isso (como o exemplo que deu), outras que ficaram por fazer.
    Uma aposta excessiva no alcatrão e no betão, dizem alguns. Talvez, digo eu, mas questionarei: não poderá começar por aí a fixação e atracção de pessoas, investimento e, consequentemente, o desenvolvimento?
    Mais do que uma cidade ""arranjadinha", excelente para turista ver", julgo que os alicerces estão feitos e consolidados.
    Poderia exigir-se mais e melhor? Certamente que sim. Mas aí está um excelente desafio para quem a seguir vier. Uma boa parte do trabalho está feita.
    E digo isto sem ser "ruísta"!
    Aliás, acho que é o momento certo para agradecer, mas também dizer adeus.
    Renovação de projectos e projectistas precisa-se.
    Boa Páscoa!

    ResponderEliminar
  3. Caro Nuno,
    Como sabe é sempre um prazer receber o seu contributo.
    É evidente que o Ruísmo tem aspectos positivos, ninguém o poderá negar. Como afirma o trabalho de base está feito, as infraestruturas concluídas, resta a quem receber o testemunho "projectar" a cidade para outro nível. E o desafio é esse, pegar na herança e dinamizar a cidade.
    Boa Páscoa.
    Volte sempre.
    Abraço.

    ResponderEliminar

Exceptuando casos de linguagem imprópria, todos os comentários serão aceites.