segunda-feira, 26 de março de 2012

(PPC Auxilia) Ruas no Atlântico IV

Parece que PPC não tomou o lugar de Ruas, apenas o "auxiliou".

"Ficou decidido durante o 34º Congresso do PSD, que o conselho nacional ficaria com a missão de elaborar um regulamento sobre esta matéria. Mas a eleição desta alteração ao estatuto acabaria por causar alguma confusão nos trabalhos da reunião magna, o que obrigou Pedro Passos Coelho a subir ao palco para esclarecer a medida e 'auxiliar' o presidente da mesa do Congresso, Fernando Ruas. "
In Diário Económico

4 comentários:

  1. Miguel, se foi uma vitória de Ruas (ou PPC?) foi uma grande derrota de Guilherme Almeida. O homem queria por tudo fazer parte da lista do concelho nacional e não conseguiu. Não teve a confiança dos seus pares para o lugar.

    ResponderEliminar
  2. Não creio. Ele terá sede. Muita. Mas em Lisboa já o conhecem bem, e se o Alvaro se for embora não querem lá ninguém que dê mais problemas. Sabemos bem que Ruas é problemático e com pouco sentido democrático. Quem tem experiência a voar papagaios de papel não está por si só habilitado a pilotar um 737. Se esse cenário seria positivo para a Viseu em que rapidamente se desfazia o mito que aundo revelado perdia tudo, numa prespectiva nacional o país perderia. Ruas é um politico do betão do séc.XX que está longe da realidade do séc.XXI.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, a mitologia ajuda a criar uma identidade enquanto sociedade. E Ruas faz parte da mossa mitologia, dos anos 80, 90 e primeira década do SécXXI. Na minha opinião e a bem da democracia, acho que tudo que seja para cima de 2 mandatos consecutivos é muito. Mas a lei não diz isso e Ruas aproveitou para fazer carreira. No sertão brasileiro Ruas seria o coroné, a saída de cena da figura vai deixar um enorme vazio...

      Eliminar

Exceptuando casos de linguagem imprópria, todos os comentários serão aceites.