sábado, 4 de fevereiro de 2012

A ética de Hélder Amaral



O deputado Hélder Amaral, ao levantar objecções ao projecto de reorganização da estrutura judiciária, proposto pelo governo, do qual o seu partido faz parte, lembra aos restantes deputados, que a sua legitimidade política assenta em primeiro plano nos votos que os cidadãos, de Viseu, lhe atribuíram, conferindo-lhe o direito de os representar na Assembleia da República. Apenas num segundo plano se podem levantar questões de solidariedade, ou obediência ao partido e sua liderança parlamentar. Cumprir, relativamente a quem os elegeu, além de ser uma óbvia questão de ética política, é uma questão de honra pessoal. Espero que o exemplo faça escola e os nossos deputados ultrapassem a fase de agradar ao líder partidário, para se centrarem nos problemas dos seus eleitores. Isto é o que nos dita o bom senso.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Exceptuando casos de linguagem imprópria, todos os comentários serão aceites.