quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Considerações críticas

                                  (origem da imagem: Viseu, Senhora da Beira)

Tenho por hábito navegar pela blogosfera local. Ao ver a imagem acima, de imediato, uma série de dúvidas se levantaram no meu horizonte. Passo a partilhar os meus pensamentos com o companheiro de viagem... que é o leitor claro.
Quando um político se dispõe a ser sufragado, deve honrar o voto recebido? Sim. Ao votar o eleitor está a estabelecer uma relação de confiança com o candidato, elegendo-o como seu legítimo representante. Assumir e cumprir o mandato é um imperativo de ordem ética e moral, tão elementar que não é necessário ter  Olho de Gato para o perceber. 
E se depois de eleito começa a debandada, para lugares mais apetecíveis, sendo substituído por quem nunca imaginou ser eleito e em quem o próprio eleitor não votaria? No plano político, esta é uma situação em que os laços de confiança depositados são quebrados, em consequência disso, o valor do voto é desrespeitado, o papel dos políticos sai diminuído e a essência da democracia é posta em causa. No plano pessoal, quem o faz, demonstra uma falta de integridade inadmissível que não devia ser permitida a um representante popular.
E caso esses políticos se voltem a candidatar? O que fazer? Em primeiro lugar, isso não deve acontecer porque, o responsável pelas nomeações, dentro de um partido, deve riscar esses políticos da sua lista. Em segundo lugar, caso a falta de vergonha e ética nesse partido sejam norma, o eleitor deve abster-se de votar em candidatos com tamanha falta de princípios.
Alguma ideia radical? Bem... poderíamos pôr-lhes umas orelhas de burro e sentar esses representantes a um canto da sala, de modo a castigar as criaturas. Como infelizmente, nesta época, o recato e a vergonha não abundam, proponho que em futuras ocasiões, caso se voltem a apresentar a eleições, a "mug shot" de candidatura seja, mais ao estilo sul-americano, algo deste género:

                                                    (General Manuel Noriega)


PS: Aplica-se a TODOS os partidos e TODOS os políticos que não respeitam os votos que lhes são confiados. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Exceptuando casos de linguagem imprópria, todos os comentários serão aceites.